Voltar

EXPOSIÇÃO COLETIVA ARTES PARALELAS
AQUILINO FERREIRA
JORGE REBELO

Os artistas plásticos Aquilino Ferreira e Jorge Rebelo apresentam na sala de exposições temporárias do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, a exposição ARTES PARALELAS. A mostra reúne trabalhos das exposições individuais IV Revolução Industrial e Mundos Paralelos.

A arte surge como convite à reflexão sobre o mundo, o homem e a sua relação com o meio. Num tempo em que tudo é volátil e descartável, os artistas interpelam para uma nova dialética na evolução da humanidade.

 

IV REVOLUCAO INDUSTRIAL | Aquilino Ferreira

Aquilino usa lixo eletrónico que vai reciclando para lhe dar uma nova oportunidade.
Numa técnica mista, cria autênticas obras de arte em tela, num tema muito atual, a IV Revolução Industrial”, representando algumas das personagens mais relevantes na mudança de mentalidades e onde no coração e na mente de Aquilino surgem sobre a mescla das cores, empenhadas de amor com a sua arte, e mediante a crua realidade da 4ª revolução Industrial.
O Artista grita: é mais fácil falar do que fazer, pois cada um de nós vive suas vontades. 
Olga Maria Sousa - Curadora e crítica de arte

 

MUNDOS PARALELOS | Jorge Rebelo

Onde se descansa a mente criando e recriando na cor a imagem permanente de uma ideia de mundos que se misturam nos diversos imaginários criados pela mão de Jorge Rebelo. Realidades onde se entra e sai, sem portas nem entradas, como se tudo fosse separadamente unido, entre o sagrado e o profano que a natureza tem. A invasão de animais em mundos contrários à sua natureza, trás à nossa presença a preocupação e o respeito pelos que dividem o mesmo planeta, sobre o que estamos a fazer aos ecossistemas aqui existentes, bem como as anomalias emergentes criadas pela ambição e arrogância do ser humano, mesmo em “ Mundos Paralelos”
Luís Fernando Graça – Artista plástico e poeta

 

AQUILINO FERREIRA
Nasce em Vieira de Leiria, entre raios de sol e ventos fortes do mar, num país de navegadores e gente de bem - Portugal. Embora se tenha estendido além fronteiras, desbravando longos caminhos, cortando nas ondas dos mares qual caravela destemida, à procura de novos rumos, dando-se a conhecer por outras terras deste grandioso mundo pintado e colorido como uma aguarela. Mas acaba por regressar para ficar, pois é aqui o seu porto de abrigo.  
Se há pessoa que mais ame a sua terra, esse alguém é sem dúvida Aquilino. O artista recolhe das suas origens as bases da sua formação pessoal e artística, pois elas estão implícitas. É inato o seu Dom pela Arte. Da sua relação com o teatro, rádio e cinema ficam as regras da harmonia que predominam nas suas obras. Não é comum encontrarmos um artista plástico com as características de Aquilino. Ele é versátil em várias áreas dominando técnicas e desafiando fronteiras inalcançáveis. Dono de um currículo invejável iniciado em França nos anos 80. É aí que inicia a sua carreira artística expondo a sua arte num patamar já demasiado elevado. Quando foi convidado a realizar três painéis de azulejos para A Gare de Disney Land (Paris), onde de seguida realiza a sua primeira  exposição de arte. Expõe ainda no mesmo ano em Chambre Syndicale de  Céramica e Atelier de arte de France. Não antes de ter concluído Formação nas áreas da Pintura, da Cerâmica, da Gráfica, do Design e Publicidade.
Hoje Aquilino , usa lixo electrónico que vai reciclando para lhe dar uma nova oportunidade .
Numa técnica mista , cria autênticas obras de arte em tela , num tema muito actual , a  quarta  Revolução Industrial" , representando algumas das personagens mais relevantes na mudança de mentalidades.  
No Coração e mente de Aquilino surgem as cores , empenhadas de amor , com toda a sua arte , e mediante a crua realidade da Quarta  revolução  Industrial, ele grita : é mais fácil falar do que fazer, pois cada um de nós vive suas vontades. Nas suas telas , há um espaço enorme por entender, que jaz escondido nas nossas vaidades e que nos dá a dignidade de as  ter.

 

JORGE REBELO
Nasceu em Novembro de 1952, em Lisboa.
Após alguns anos de Liceu ingressou na Escola de Artes Decorativas António Arroio, frequentando até ao 4º. Ano o curso de “Pintura Artística e Decorativa“, em simultaneamente a trabalhar (durante 11 anos) no atelier de pintura Augusto Bertholo, em Lisboa.
No ano de 1977 concorreu para a Secção de Pintura Artística e Publicidade da C.C.F. de Lisboa.  Ao fim de 9 anos, com a categoria de Mestre, chefiou a Secção de “Arte e Publicidade“, durante 20 anos.
Ao longo dos 40 anos de profissão, aprendeu, coordenou e ensinou várias técnicas de pintura, com vários tipos de materiais. Teve aprendizagem para ajudar a impulsionar a serigrafia ainda muito primária nos anos 70 e 80.
Executou muitas pinturas de grandes dimensões, tais como: cenários, stands, restauros de obras de arte, arte sacra, dourar, pratear, decoração, todo o tipo de pintura de publicidade artística, pintura de quadros, etc. etc.
Actualmente, dedica-se em exclusivo à pintura de quadros a óleo e acrílico, no estilo “realismo e neo-surrealismo“.
Participação em inúmeras exposições em todo o país, e encontra-se representado no Brasil e Espanha.

 

Data: 05/02/2020 a 29/03/2020

Local: Mosteiro de Santa Clara-a-Velha

Publicação: 05-02-2020

Partilhar

Notícias e Eventos

Em Destaque