Voltar

Saiba mais...

 

Bote de Stº. António
Madeira, s.d.
Dimensões: 18x15x34 cm
Museu Dr. Joaquim Manso inv. 1180 Etn.

 

Miniatura de um bote do alto, dedicado a Santo António, conforme nome inscrito nos lados da proa. Num rectângulo negro, apresenta o número de inscrição na Capitania da Nazaré: “N 1532L”. Era pintado a azul, vermelho e amarelo, para além do preto na obra viva do casco.

O “bote” veio substituir o “batel” (que navegava a remos e vela) para praticar a pesca do alto, com aparelhos de anzol, e foi a primeira embarcação a possuir motor fixo, depois das traineiras.

É um barco de forma alongada de convés, popa de painel e de leme por fora. Na proa e na popa, uma castanha de cada lado. Apresenta casa de motor, embora também possuísse remos, dois de cada lado (nas respectivas enxamas). Costado com cinta que, com o talabardão, delimitam a alcaxa correspondente à borda falsa.

O modelo encontra-se aparelhado com as miniaturas dos apetrechos que normalmente acompanham este tipo de embarcação da pesca do alto, nomeadamente: lasca, cabaças (4), balde de madeira, linhas pretas, 4 poitas, sonda em chumbo, moinho de engodo, 2 celhas de aparelho, 2 remos e 1 bicheiro.

Recorde-se que, na Nazaré, existe a Capela de Santo António, localizada na zona norte da Praia, inaugurada a 13 de junho de 1861 e construída a expensas dos pescadores, cujas companhas tiravam um quinhão para o Santo (1% do pescado vendido). No dia 13 de junho, realiza-se anualmente uma procissão que sai desta Capela para a Pederneira.

Esta miniatura fazia parte do espólio de Eurico de Castro e Silva (1916-1968), um dos organizadores e primeiro recolector de objetos para um Museu da Nazaré.

Mais informação em MatrizNet.

 

barco santo antonio

Créditos fotográficos: DDF/DGPC.

Data:

Local: Museu Dr. Joaquim Manso | Nazaré

Publicação: 20-01-2021

Categorias

Partilhar