Voltar

Objeto do Mês | fevereiro 2019

 

GALRICHO
Fio de nylon e vime, 33x48 cm
Adquirido a José Simão da Silva Palhaça, 1976
Museu Dr. Joaquim Manso inv. 562 Etn.


O galricho é uma armadilha de rio, destinada à captura de enguias.

Na Nazaré, este tipo de aparelho era disposto no rio Alcôa, algumas vezes com o auxílio de um pequeno barco (o chamado "barco da lagoa"), com a "boca" a favor da corrente; era mantido esticado por meio de uma cana.

Atraídas pelo isco (caracol) colocado no fundo do galricho, as enguias entravam pela sua "boca", passavam a abertura do fundo do primeiro "saco" e já não conseguiam sair.

A armadilha compõe-se de dois sacos de rede embutidos um no outro, sendo o último fechado em bico. Entralham no bojo (ou seja, prendem nas malhas da rede), em quatro arcos de vime de diâmetros progressivamente decrescentes, que afunilam o aparelho e formam meios articulados para facilitar a sua acomodação no interior do barco.
O primeiro saco entralha em meio arco de vime, formando a "boca" da armadilha que funciona como funil, sendo a parte terminal mais estreita e mantida aberta por fios laterais ligados ao 3º arco do bojo.

Saiba mais sobre este galricho em MatrizNet
Saiba mais sobre o "barco da lagoa" no MatrizNet.

 


 

 Imagem: José Pessoa, 2000 (ADF/DGPC)

Data: 01/02/2019 a 28/02/2019

Local: Museu Dr. Joaquim Manso | Nazaré

Publicação: 24-01-2019

Categorias

Partilhar