Voltar

Objeto do Mês | março 2019

 

Armando Boaventura (1890-1959)
Dr. Leite de Vasconcelos, 1924
Tinta da china sobre papel, 37x23,5 cm
Doação de Eng. Pedro Manso Lefèvre, 1977
Museu Dr. Joaquim Manso inv. 103 Des.


Esta caricatura foi publicada no “Diário de Lisboa” de 6 setembro 1924, acompanhando o artigo “Um sábio”, escrito pelo Dr. Joaquim Manso sobre o Dr. Leite de Vasconcelos, a propósito da viagem de estudo aos Açores em que ambos participaram, em junho de 1924.


O Museu Dr. Joaquim Manso recebeu esta denominação em virtude de se encontrar instalado na residência de veraneio do Dr. Joaquim Manso (1877-1956), escritor, jornalista, diretor e fundador do “Diário de Lisboa”, doada ao Estado em 1968 por Amadeu Gaudêncio (1890-1980) para aqui se acondicionar o Museu da Nazaré (então em organização). Entre os objetivos principais da sua missão encontra-se, pois, a representação da cultura da Nazaré e da sua ligação ao mar; todavia, já depois da sua inauguração e abertura ao público em 1976, o novo museu vem a receber um significativo conjunto documental e epistolar e a coleção de arte que pertencera àquele jornalista, através da doação do seu filho, o Eng. Pedro Manso Lefèvre.
Entre essa doação encontram-se duas caricaturas de Armando Boaventura (1890-1959) sobre José Leite de Vasconcelos (1858-1941), como esta aqui apresentada.

José Leite de Vasconcelos foi um pioneiro da filologia, arqueologia e etnografia portuguesas. Fundou a revista “Lusitana” (1889), o “Arqueólogo Português” (1895) e o Museu Etnológico de Belém (1893), atual Museu Nacional de Arqueologia. Foi ainda conservador na Biblioteca Nacional e professor na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Entre as suas obras destacam-se “Religiões da Lusitânia”, “Etnologia Portuguesa”, “Antroponímia Portuguesa” e “Romanceiro português”.

Em junho de 1924, foi realizada uma viagem de estudo aos Açores, por artistas, escritores e intelectuais, a convite do "Correio dos Açores", para visitar o arquipélago e celebrar Antero de Quental.
Foram realizadas várias conferências e leituras, nomeadamente pelo Conde da Nova Goa (D. Luís de Castro), Armindo Monteiro, Antero de Figueiredo, Agnelo Casimiro, Luís de Bettencourt, Luís de Magalhães, Oldemiro Cesar, entre outros. Da comitiva faziam também parte o José Leite de Vasconcelos e Joaquim Manso, que pronunciou o discurso de despedida.

O artista Armando Boaventura acompanhou o grupo de estudo e produziu caricaturas dos seus membros, depois publicadas no “Diário de Lisboa”.

Mais informação sobre esta obra (MatrizNet).
Mais informação sobre Joaquim Manso (Biografia).

 

caricatura de José de Figueiredo

“Na viagem de estudo aos Açores, tivemos o feliz ensejo de conhecer o sr. dr. Leite de Vasconcelos, professor ilustre da Faculdade de Letras, director do Museu Etnológico, antigo poeta e alma sempre suspensa no deslumbramento das coisas belas, historiador, folk-lorista, glotologo e romancista. (…) Trocámos as primeiras palavras à mesa do almoço: o sr. dr. Leite de Vasconcelos sentia-se com um apetite disperto, robusto, e afirmava haver comprado por 20$00 umas pílulas que combatiam o enjôo. (…)
Os acontecimentos, porém, não foram propícios aos seus sonhos de sábio convertido em nauta: as pílulas não tiveram a eficácia que ele esperava e as suculentas refeições de bordo alguma vez lhe ficaram indiferentes.”

Excerto do artigo de Joaquim Manso, “Um sábio”, Diário de Lisboa, 6 setembro 1924.

Data: 01/03/2019 a 31/03/2019

Local: Museu Dr. Joaquim Manso | Nazaré

Publicação: 26-02-2019

Categorias

Partilhar